domingo, 8 de fevereiro de 2015

PORRADA!!! PORRADA MESMO!!! UMA PORRADA DE IDEIAS!!!


Bem, tá difícil essa vida e parece que eu só apareço aqui quando fica mais difícil mesmo. Eu tenho tido pouco tempo e ânimo para mexer com o modelismo, em especial com o ferreomodelismo. Até minhas leituras estão atrasadas e estou muito disperso com certas atividades. Ainda existem projetos em que me animo, pesquiso, compro material e não executo. Ou seja, dinheiro e tempo desperdiçados e frustração galopante no meio peito.

Agora vamos deixar de chorumelas (com x ou ch?) e cair nas ideias que são bem melhores:

Projeto Alpha - G12 EFVM

Comprei uma G12 usada do Mister KNA, ela era antiga e tem aquele esquema elétrico antigo que não possui placa, no lugar são bastões de cobre. Ela veio faltando os pega mãos, parte da cabine solta, lâmpada solta e somente com uma adaptação para um engate Kadee e um leve envelhecimento. Meu projeto foi executado com paciência e teve um bom resultado. 

Primeiramente fiz uma limpeza do motor, das rodas e das engrenagens do cardã além de uma boa lubrificação. Depois parti para uma maior abertura da corneta da buzina e do pequeno conserto da cabine. Pensei em colocar um maquinista, mas desisti. Em segundo lugar, instalei os limpa trilhos e o adaptador para engate Kadee que são vendidos pela Microtransport. Comprei junto com um amigo, assim o preço do frete é bem mais em conta,

Após instalar o adaptador vem a dor de cabeça, seguindo o manual do fabricante o engate recomendado é o Kadee nº5. Para isso é necessário que se remova as alças da caixa do engate e dê uma lixada na caixa para diminuir sua espessura. Após o procedimento, o conjunto do engate entra com pressão e você pode colar por trás do adaptador um pedaço de estireno ou metal para que fique ainda mais firme. Ah se fosse assim! Como o meu mundo seriam um grande jardim.

Começa o desespero. O conjunto engate é muito maior do que o buraco no adaptador. Algo em torno de 3 mm para cada lado, 1,4 cm maior tornando impossível o procedimento de lixar a caixa. Uma cirurgia na caixa do engate seria necessária e urgente. Pois não adiantaria ter colocado o adaptador para ter que colocar o engate tipo alça. Testei em uma sucata e vi que a cirurgia na caixa era impossível e o fabricante não aconselhava que lixasse o leito do engate e isso alteraria gravemente a altura final do engate.

O problema do conjunto Nª 5 da Kadee é que ele depende de se ter um apoio para que o engate funcione corretamente, não adiantaria em tentar colocar a mola e o engate somente no buraco, pois no primeiro serviço a locomotiva iria embora banguela. Não seria possível colar o conjunto sem a caixa no buraco porque iria prender a própria mola. O jeito seria arrumar "um jeito" de travar todo o conjunto no adaptador. Eis que surge uma ideia, utilizei um pedaço da grade do kit do próprio engate. Tive que cortar e lixar para que ficasse na espessura correta. Assim travaria a mola, o engate e a tampa, porém nem tudo é conforme queremos. Utilizei um pedaço da grade em que vem presas as partes plásticas do engate. Cortei no tamanho correto e lixei até a espessura em que entrasse o parafuso do Kadee. Isso travou o conjunto, mas eu não conseguiria colar o engate e ele não ficava bem preso com pressão no berço do adaptador além de não dar a altura correta pois ficava mais baixo e a alça do engate agarrava nos dormentes. Tive a brilhante ideia de cortar uma lata de cerveja e utilizar o alumínio para moldar a caixa do engate. Deu certo e ainda coloquei um L feito com o alumínio preso na parte traseira do engate.

Mesmo esse "tapa" tem algumas dores de cabeça, na verdade não são dores de cabeça mas "considerações finais" que merecem um estudo. A princípio, utilizei tinta enamel tonalidade preto locomotiva da Asgard -Rio (falarei em outro tópico) e como os limpas trilhos e adaptadores são feitos em resina, a tinta demorou a pegar, mas não achei necessário utilizar primer ou outra tinta para ancoragem. Demorou um pouco para cobrir porém ficou um bom resultado,

Continuando com as considerações finais, a cola para fixar o conjunto foi a epóxi que também é conhecida como durepox líquido, São duas partes que depois de misturadas formam uma cola forte e de cura mediana (umas 4hs), Diferentemente da cola fusora e do cianocrilato, a epóxi é indicado para colar resinas e possui uma qualidade mecânica muito boa depois da cura, permitindo que as peças não soltem caso ocorra algum impacto. Já o cianocrilato pode soltar com alguma pressão mecânica na região de contato da cola.

O resultado final foi muito satisfatório, me deu ânimo para fazer outros projetos e o prazer que o modelismo quando bem feito nos dá. É claro que nem tudo foi completo. Pois terei em breve o update ou retrofit desta máquina que será a instalação de uma placa DCC com faróis de LED com alto brilho.

Ao terminar este texto, descobri que se escreve “churumelas” e “chorumelas”. Mas tá valendo, o mais importante é escrever.


Um abraço férreo para todos.






Nenhum comentário:

Postar um comentário